terça-feira, 23 de abril de 2013

A Interpretação de um Sonho!


Sonhei nesta madrugada, que estava numa pequena loja, quando um ladrão aparece e da ordem para eu ficar deitado, rouba os pertences do dono da loja e o celular. De mim ao me levantar pede a aliança (a aliança hj que uso é de aço de coloração dourada, pois fui roubado anos atrás e decidir não mais comprar alianças de ouro).
Visto logo que não era nenhuma joia o ladrão despreza a mesma e joga ainda na minha frente ao chão o pequeno objeto. Acordei-me com aquele susto pela madrugada.
Interpretação normal: Tomar cuidado por onde eu for ou outra pessoa da minha família pois pode ser um aviso sobre roubo de celular, além de outros pertences.
Interpretação espiritual: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (João 10: 10). O Diabo veio para destruir muitas coisas. Dentre elas o casamento, sugere, infiltra, cria situações para que nós seres humanos venhamos ter ódio, desconfiança, insegurança, ciume dentre outras mais.
Após a intromissão de um homem ou mulher no casamento certamente depois de aproveitar, gozar de toda sua satisfação física e pessoal o outro será descartado e a relação do casal será jogado fora como foi jogada fora a aliança no sonho. Vendo que o interessante não se torna mais interessante, que o brilho, não tem mais seu valor é jogado fora. Após aquele homem contar aos quatro ventos (seus amigos principalmente) que conquistou aquela mulher que os outros comentavam que ela é demais, pra ele é partir para próxima aventura e a mulher q por sua vez conquistou o homem da outra, gosta de fazer deboche e em algumas vezes faz de tudo para que chegue aos ouvidos da esposa o ocorrido.
O simbolo do casamento, a aliança que olhando por dentro não tem emenda e por fora brilha. Já se tornar um adorno insignificante.
Quem tem visão espiritual que firme os olhos. O certo é vigiar e repreender.
Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Salmos 127:1