quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A vontade de Deus pode ou não ser frustrada?


A Bíblia diz:
Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado. (Jó 42:2).
Todos os moradores da terra são por ele reputados em nada; e, segundo a sua vontade, ele opera com o exército do céu e os moradores da terra; não há quem lhe possa deter a mão, nem lhe dizer: Que fazes? (Dn. 4:35)
No céu está o nosso Deus e tudo faz como lhe agrada. (Sl 115:3; cf Ef. 1:11).
E por outro lado diz:
Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. (Mt 6:10)
É a vontade de Deus feita ou não? Como conciliar essas duas verdades?
Outro exemplo:
O assassinato não é a vontade de Deus (Ex 23.7);
O assassinato na cruz do Filho de Deus era a vontade de Deus (At 4.27-28).
A morte de Cristo era ou não a vontade de Deus?
A Bíblia é, então, contraditória? Não! O que acontece é que o termo vontade pode ser usado de formas diferentes. No vídeo abaixo, R. C. Sproul explica a diferença entre a vontade secreta (ou decretiva – de decreto) e a vontade revelada (ou preceptiva – preceitos, mandamentos).

Transcrição:
“As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus” [Dt 29:29]. Isso se refere ao que chamamos de “vontade oculta” de Deus. Agora, geralmente quando falamos da ”vontade oculta de Deus” temos em nossas mentes a “vontade decretiva” de Deus. E quando as pessoas me dizem: “Qual é a vontade de Deus para minha vida?”, eu digo: “lembre-se que a Bíblia usa a expressão ’a vontade de Deus’ de várias formas diferentes”. A primeira forma que falamos sobre a vontade de Deus é o que chamamos de ”vontade decretiva”; e a ”vontade decretiva” de Deus é a vontade de Deus pela qual Ele soberanamente faz acontecer tudo o que quer. Às vezes ela é chamada de “a vontade absoluta de Deus”, ou simplesmente de “a vontade soberana de Deus”, ou, na teologia, de “a vontade eficaz de Deus”. Mas, normalmente, falamos sobre “a vontade decretiva” de Deus. Ou seja, quando Deus decreta soberanamente que algo deve acontecer, tal evento deve certamente acontecer.
A Bíblia frequentemente fala sobre o determinado conselho de Deus. Quando Deus decretou, desde toda eternidade, que Cristo teria que morrer em uma cruz em Jerusalém, em um momento da história particular, tal evento certamente teria que acontecer. Ele acontece pelo determinado conselho ou vontade de Deus. É sobre isso que estamos falando ao nos referirmos à ”vontade decretiva” de Deus. Essa vontade que Deus faz se concretizar pelo poder absoluto da Sua soberania. É irresistível, tem que acontecer. Quando Deus chama o mundo à existência, ele vem à existência. Ele não pode não começar. As luzes não podem deixar de existir quando Deus diz: “Haja luz”. Essa é a vontade decretiva de Deus.
Agora, nós também falamos sobre “a vontade preceptiva de Deus”. Nós entendemos que a ”vontade decretiva” de Deus não pode ser resistida. Já a vontade preceptiva de Deus, não só pode ser resistida por nós, como é resistida todo o tempo. A ”vontade preceptiva” de Deus é uma referência à lei de Deus; aos Seus mandamentos. Esta é a vontade de Deus que você não tenha nenhum outro deus diante dele. Agora, quando as pessoas me chamam e dizem: “Como posso saber a vontade de Deus para minha vida?”, eu quero lhes perguntar: “a que vontade você se refere? Você está falando sobre a ”vontade decretiva” de Deus? Você está falando sobre a ”vontade oculta” de Deus? Se você está falando sobre a ”vontade oculta” de Deus, a primeira coisa que você precisa entender sobre ela é que ela é oculta”.
E quando as pessoas me dizem: “O que Deus quer que eu faça neste tipo de caso?”, eu digo: “como vou saber disso? Eu estudo teologia, mas não posso ler a mente de Deus. Tudo o que posso fazer é ler a Palavra de Deus. E o que a Palavra de Deus faz é me dar a Sua vontade revelada. E isso é uma tarefa suficiente para, durante a minha vida inteira, tentar descobrir tudo o que está neste livro que Deus revelou. Se você está me perguntando sobre isso, eu posso ajudá-lo, mas se você está me perguntando sobre a vontade oculta de Deus, você está perguntando à pessoa errada, porque eu não tenho ideia do que está na mente de Deus a respeito daquilo que Ele não revelou”.
Calvino fez seu comentário neste ponto, ele diz: “onde Deus fechar Sua santa boca, eu desistirei do inquérito”. Eu vou dizer isso de novo: “onde Deus fechar Sua santa boca, eu desistirei do inquérito”.  Agora, traduzindo isso para a linguagem moderna, diríamos algo como: “A vontade oculta de Deus não é da sua conta, é por isso que está oculta”.
Por R. C. Sproul. Original: What’s the Difference Between the Decretive and the Preceptive Wills of God? Extraído do site ligonier.org. © 2012 Ligonier Ministries
Tradução: Vinícius Musselman Pimentel – Editora Fiel © Todos os direitos reservados
 Website: www.MinisterioFiel.com.br / www.VoltemosAoEvangelho.com. Original: A Glória de Deus no Julgamento – R. C. Sproul
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.