sexta-feira, 22 de maio de 2015

O Sozinho


Se sentir só, existe alguns aspectos sobre isso, tem gente que vive muito bem, vivendo só. Existe aquele que vivendo com muitos se sente só. Um outro não muito distante é aquele que vivendo com outros não pode contar com eles e se sente só. Por fim nesta gama de situações e sensações há aquele que realmente está só. Só no sentido de se encontrar num ambiente sozinho. E porque tanto medo, porque algo que perturba a mente?! O silencio da casa, apenas acompanhado do barulho lá fora! Todos saíram e você se vê só.
Mesmo quando tem alguém, no outro cômodo da casa, você se sente bem. Mais não havendo, as horas passam devagar. E se você acordar cedo demais...
Um sentimento que não quer te abandonar enquanto você está consciente. Único remédio seria dormir. No entanto, você acordará e se dará conta que está só. Mas você está, mas não é sozinho. Sei que é difícil driblar a mente com pensamentos assim. Contudo, pensemos. Uma hora as pessoas que saíram voltarão... Ou não. O fato é que se não sabemos lhe da com tais sentimentos. Sentimentos que geram sofrimento. Posso dizer que não estamos preparados para seguir em frente neste mundo. E as opções se estreitam ou você decide partir dele ou se apartar dele.
Ninguém gosta de sofrer isso é lógico. Alguns sofrem mais que outros no quesito, desgraça, seqüência de desgraças, tempo dela ou na profundidade dela.

“...o sofrimento não como uma desgraça totalmente negativa, mas como uma oportunidade de reflexão, crescimento e transformação,  conseguiremos lidar muito melhor com as dores do corpo e as angústias da alma. Tudo é uma questão de como se encara a destruição do dente-de-leão: como o fim de algo belo ou como um fenômeno necessário para que ele cresça e se fortaleça. Como você lida com seu sofrimento? Com lamúrias e olhos cravados no presente ou com antecipação e olhos voltados para o futuro?
O trecho acima foi extraído do blog https://apenas1.wordpress.com/2015/05/04/esperanca-em-meio-ao-sofrimento/#like-12684. Onde fala do Dente de Leão, uma semente desta planta, linda, mas que se desfaz com um leve sopro.
Difícil encarar dessa forma como diz o trecho, difícil dizer há alguém que perdeu seu familiar tragicamente num acidente, esta com seu parente num leito de hospital, numa doença terminal. Para alguém que ta saindo de uma relação machucada. Para alguém que foi injuriada e tantas outras injustiças e sofrimentos.
Talvez um filme, uma série, uma comédia, um livro, um game nos faça melhorar. Tudo isso é entretenimento e será momentâneo. Precisamos de algo constante. E minha opinião a oração tem que ser essa constancia. Todas as vezes que se sentir assim, todas as vezes que se sentir ruim, sofrendo recorrer a Presença de Deus. “Socorro-me oh Deus!”, de um modo sincero, chegando a visualizar mentalmente a presença de Cristo ao teu lado, te carregando, colocando no colo, dando afago ou apenas te abraçando. Sei que é difícil manter essa Constancia, sobretudo, quando as coisas melhoram e esquecemos de manter.
Em um dos livros de Joyce Mayer ela diz: “Estou tomando essa decisão de acordo com meus sentimentos ou de acordo com a vontade de Deus?” Se formos prestar atenção, não nos damos conta de que sentimentos estamos tendo no momento e muito menos que tomamos atitudes movido por eles.
Quando estamos com raiva, bravejamos coisas que num momento de paz não faríamos. Quando estamos inseguros demonstramos ações, de uma pessoa totalmente descontrolada. Então a questão está ai, detectar tais emoções e controlá-las. Existem técnicas dentro da psicologia que te ensinam como agir. Mas se não dispõem de tais recursos, existe um de graça e que não existe hora para alcançar este favor. O momento de oração. Entretanto, vou logo dizendo que não é de uma hora para outra, difícil não é aplicar novos hábitos, mas sim retirar os velhos costumes. Em trinta anos de vivencia, não será num passe de mágica que as coisas se ajeitarão. Não que não dependa de Jesus, depende de mim, de você, de nós. Um exercício, exercido diariamente, talvez até o final da vida.
O grande embaraço é que somos imediatistas então queremos logo. Mesmo todos e o próprio Cristo dizer agüenta firme, no final vai valer a pena (ser fiel até o fim e tar-te-ei a Coroa da Vida). É difícil de encarar, agüentar, neste admirável mundo tenebroso. E mais uma vez somos teimosos por não acreditarmos em suas promessas e no Espírito Consolador que deixou.
Quero viver nessa Constancia.