segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Quem já pisou nos Santos dos Santos...

Quando eu tinha entre 4 a 6 anos, dizia a minha mãe que queria ser padre, talvez pela roupa bonita ou por ser o centro do ritual (assim achava eu na época). Minha mãe disse que gostaria de ser freira e já tinha planos para isso. Eu como todo mundo tinha um amigo imaginário. O meu era um anjo, comprava um bombom de doce de leite para mim e outro para ele. Deixava do meu lado na mureta que eu sentava. Esperando desaparecer ou algo assim.
Eu realmente sou um curioso, apaixonado por religiões, de ler, tentar entende-las e claro respeitá-las.
Lembro-me de uma senhora que me levava uma igreja quando pequeno, creio que era a Quadrangular. Para os Mórmons que cheguei abrir minha casa, acredito que no período da adolescência. Aos 12 anos acometido por uma doença que não tinha explicação minha mãe me levou num terreiro de umbanda, candomblé algum desses (sei que existe diferenças). Lá descobriu-se que tinha escoliose (um desvio na coluna) e que o sofrimento que estava tendo, era um "trabalho feito para atingir minha mãe, mais eu inocentemente pisei no tal trabalho. Eram como agulhadas que eu sentia por toda parte do corpo, parecia obra da bruxaria vodu. Teria que tomar em jejum pela manhã cedo, durante três dias um copo de leite com sal. Aquilo seria expelido por algum "canto". Achei interessante contar essa parte da minha história pois foi um fato e mais uma religião que passei.
Os Mórmons, com suas visitas noturnas vieram a mim até os 17 anos. Depois dessa idade eu cai no mundo, como diz a personagens do desenho Pica-pau: "Mulheres, dinheiro e iates". Brincadeiras a parte desses três só a primeira opção foi a mais conhecida para mim. Mais isso trato numa outra oportunidade. Pois é um capitulo da minha história que trouxeram consequências para dias atuais.  
Conheci uma igreja evangélica de frequentar alguns meses no ano de 1995, Igreja da Paz, Mais queria saber de festas, brincadeiras.
Então em 2002, de fato conheci uma igreja e comecei a frequentá-la, uma igreja Batista tradicional, neste lugar aprendi muita coisa, reverencia, respeito pela palavra, comunhão, dízimo, perdão, orar, pregar, visitar e tantas outras coisas e a principal, independente dos erros que eu encontrava nos homens e suas atitudes eu teria que permanecer na Presença de Deus, por vezes eu me magoava, indignava, entristecia por coisas que eu via e que são comuns acontecerem em todas as igrejas e me afastava, mais nem por isso voltava a fazer o que fazia antes de conhecer a Cristo.
Num ano qualquer por uns meses frequentei a Igreja Evangélica Paracleto. Depois disto retornei para Batista. Nessa igreja conheci um pouco mais do Pentecostalismo, algumas coisas me identifiquei.
Como os leitores sabem em 2009 tive um quadro de depressão, foram acontecendo algumas coisas ruins e acabei me afastando da igreja e de muitas outras coisas, na verdade de todas as coisas. Alguns irmãos me visitavam, mais realmente eu estava distante em 2012, já me encontrava melhor e retornei a igreja, porém já não era a mesma coisa e em meados de 2013 fui para Igreja Famílias no Altar de Deus de um amigo meu. Ele fundara aquele ministério e foi muito bom estar ali e ele por sua vez nos ajudou bastante. Porém eu tive uma decisão de não frequentar igreja nenhuma, retornando apenas no final de 2014, novamente para esta igreja.
Nesse intervalo, fiz coisas que jamais poderia ter feito, "a brasa longe do braseiro, esfria e apaga". Estava coberto das cinzas do pecado, das loucuras da carne. Eu alimentei a carne e mortifiquei o espirito. Devido essas cinzas já não enxergava mais nada, principalmente a VERDADE.
Na minha juventude eu frequentava lugares onde Deus falava comigo: "Não foi o lugar que escolhi pra você" Meu espirito se entristecia e o local de alegria tornava-se sem sentido.
No que se sucedeu nesses anos, estava longe dos Santos dos Santos, orar era a coisa mais rara, talvez a vergonha de falar com Deus. Já em 2015, precisamente em maio volto a Igreja Batista, ouvindo os conselhos daquele pastor que me conhece já a 13 anos, que realizou meu casamento, batismo, viu minha filha crescer. Me ajudou a passar pelo que estava acontecendo, porém retirar essas cinzas cabem a mim.
Agora em setembro de 2015 tenho frequentado uma igreja Batista renovada, eu e minha filha temos gostado, vejo mudanças na minha família, esposa, mãe e filha e claro em mim também.

Onde quero chegar, independente da igreja que você esteve ou está. Se já experimentou verdadeiramente do Santos dos Santos, você nunca deixará este lugar, cedo ou tarde voltará. Esse tempo é você que escolhe pois Deus sempre esta por perto, mandando um recadinho, um bilhetinho para você. Tem momentos que Deus lhe enviará um oficial de justiça, um mensageiro para bater sua porta. Essa situação é embaraçosa, por vezes, porém é mais uma forma de Ele, lhe mostrar que está atras de você. Uma forma de você comparecer em sua Presença. Não desperdice, a partir da visita do Oficial de Justiça, coisas graves podem acontecer, caso não apareça na Presença Dele, quem sabe até prisão. E mesmo assim ainda será, por mais difícil que você acredite que é uma forma de você se voltar para Deus.
Passar uma vida, anos numa prisão ou com alguma doença nada se compara os anos de perdição no inferno, longe da Presença de Deus.
Eu sei que você já experimentou da Presença de Deus, você está num local e cantam uma música e você lembra de tudo que já viveu na presença de Deus. Você vê alguém evangelizando, visitando, adorando, alegrando-se no meio dos irmãos, contanto com alegria do evangelho pra você e outra pessoa e você diz: "Já fui assim!", você pode ser assim. Ainda há tempo, você já experimentou o melhor de Deus e ainda tem muito que viver.
Você já viu vidas serem transformadas, mudadas pelo Poder do Evangelho. Você foi testemunha ocular do que Deus fez em vidas, em sua vida, através da sua vida. Sei que é doloroso, vergonhoso algumas situações mais não deixe mais o inimigo te aprisionar e impedir o que você é capaz de fazer para Obra de Deus.
Você já experimentou de estar neste lugar, por tanto, nada te impede de regressar. REGRESSA!